Disclosure: Hollywood e Representatividade Trans


Para o cérebro de pipocas deste fim de semana, trazemos para todos vocês, este belíssimo documentário, da Netflix, lançado em 2020, Disclosure.

No fundo, este documentário de cerca de 1h45, irá mostrar como é que, desde o aparecimento do mundo do cinema, a representatividade Trans está presente, em Hollywood. Nos últimos anos temos visto um número crescente de novos conteúdos produzidos, trazendo uma nova visão sobre a própria população Trans. No entanto, nem sempre foi assim.

A Representatividade Trans no mundo do cinema sempre foi bastante estereotipada, oprimida e deturpada. As pessoas trans sempre tiveram representadas no mundo do cinema, mas nem sempre da maneira mais saudável ou verdadeira.

O Cinema mostrou-nos, ao longo dos anos, erradamente, que pessoas trans eram pessoas que estavam ligadas ao mundo do crime, da doença e do mal.



As vidas Trans importam e existem. Por conta de diversos estudos, temos visto que são as pessoas Trans, em todas as áreas da vida, as que mais sofrem. São as que mais comportamentos suicidários e de risco cometem, assim como são as que mais são mortas a nível mundial, simplesmente, por serem quem são.

Apresentam as mais diversas dificuldades como:

- Individual;

- Social;

- Institucional;


Frisar ainda que, por conta deste documentário, podemos ver que por parte dos produtores de filmes e séries que tem havido um aumento, apesar de pouco, do número de pessoas trans contratadas para desempenhar papéis de destaque.

O papel do cinema também é educar a população e... porque não trazer mais vezes estas questões para o grande público?


A empatia e respeito são questões psicológicas de extrema importância, quer seja para se falar destas questões como outras.