Indomável de Glennon Doyle


No Primeiro Episódio da Mente Literária, começamos com o fabuloso livro, Indomável de Glennon Doyle. Este livro será o começo, e que Grande Começo, do Clube do Livro de 2021, organizado pela Associação Clube Safo.

Começamos, numa primeira instância, com a metáfora da Chita. No inicio do livro, Glennon compara uma Chita, que se encontra no Zoo, em pleno espetáculo, e este animal, indefeso, mostra-se "formatado" para atuar e agir de uma determinada maneira. Nós seres humanos, em determinadas situações, encontramo-nos, inconscientemente, formatados para agir e comportar de acordo com padrões sociais. A sociedade é o nosso "ditador/treinador" que devemos obedecer, sem questionar, sobre os benefícios e malefícios de uma determinada situação.

Ao longo da leitura deste livro, encontramos temas tão importantes e fundamentais para a nossa vida como pessoas e, sobretudo, como Seres Humanos. Este livro é dividido em três partes: Enjaulada, Chaves e Livre. Podemos também refletir sobre como a divisão do mesmo foi feita. Vemos aqui uma necessidade, por parte da autora, e que quem a lê, de uma libertação de algo, que nos aprisiona como Seres, que somos.


Nós somos seres Indomáveis.


As pessoas que se leem como do género feminino terão neste livro quase como uma declaração e/ou memorando feminista sobre os direitos da mulher e como as mesmas podem ser Livres.

Ao longo dos capítulos, que podem ser igualmente lidos em separado, damos conta de assuntos tão importantes como o próprio conceito de feminismo, o papel das mulheres, os papeis de género, o machismo, misoginia, as discrepâncias existentes nos vários setores da sociedade (social, institucional e individual), amor, orientação sexual, identidade de género assim como outras questões, mais a nível psicológico, como a Superação, Autoestima, Autoconfiança, Autoconhecimento, entre outros.

A autora pretende como este livro mostra que existe, sempre espaço, nas mulheres, sobretudo, para serem Livres. Para Ser quem são. Para não seguirem os padrões doentios e disfuncionais que a sociedade exige para seguir. As mesmas não precisam de aprovação social ou desejabilidade social, para serem aquilo que tanto ambicionam ou do que querem realmente fazer. A deceção ao outro acontece porque nós somos Seres Humanos.

Esta são as mensagens chave são estas.